Entenda de vez o significado de employer branding

entenda o que é employer branding

As organizações têm investido em diferentes técnicas para atrair os melhores profissionais do mercado, que vão mais longe do que um mero processo de contratação.

A administração de talentos passou a levar em conta não apenas o recrutamento e seleção de novos colaboradores, mas também a capacitação e a experiência dentro da empresa.

Nesse cenário, as empresas investem em employer branding, um tema que é abordado com cada vez mais frequência pelas áreas de RH e gestão das organizações.

Mas você sabe exatamente o que é employer Branding? Continue a leitura para entender mais sobre esse conceito e o impacto que ele pode causar na retenção de talentos da sua empresa.

O que é employer branding?

Pessoas passaram a ser um ativo tão valioso quanto qualquer outro para as empresas. Inclusive, hoje em dia, não apenas as empresas escolhem os candidatos, mas os candidatos também escolhem a empresa em que querem trabalhar.

Por isso, conquistar os melhores profissionais se tornou um diferencial. Foi nesse contexto que nos anos 90 o termo employer branding surgiu, sendo utilizado para definir as técnicas utilizadas pelas empresas para atrair e reter seus talentos.

É uma função do marketing institucional que envolve atividades internas e externas para melhorar a imagem da empresa no mercado e a percepção de valor da marca.

Em suma, o Employer Branding é a construção e gestão de uma marca empregadora. Quando uma empresa é uma marca empregadora forte, sua reputação para candidatos, colaboradores e a sociedade em geral, é de que essa empresa é um bom local para se trabalhar.

Uma estratégia de Employer Branding pode promover a imagem da empresa, como um bom local para trabalhar quando ela investe em ações como por exemplo:

  • Qualidade de vida;
  • Possibilidade de crescimento profissional;
  • Benefícios;
  • Estabilidade;
  • Alinhamento com valores da empresa.

Portanto, quanto mais a empresa investe em ações e estratégias que melhoram a experiência de satisfação de candidatos e colaboradores, mais chances a empresa tem de chamar atenção de profissionais talentosos, além de manter aqueles que deseja.

Entenda o que não é employer branding

O que pode ajudar a identificar uma empresa que realmente tem uma marca empregadora, é definir o que não faz parte de estratégia de employer branding.

Compartilhar resultados de ações com os colaboradores ou divulgar vagas de emprego de maneiras diferentes. São exemplos de ações pontuais e não necessariamente refletem o valor da marca empregadora.

Outros exemplos do que não é considerado employer branding:

Ações como as citadas acima, por si só, não são consideradas ações relevantes de uma marca empregadora, mas se forem bem feitas e fizeram parte de um planejamento, podem contribuir de alguma forma com os resultados de employer branding e com a experiência dos colaboradores dentro da empresa. Lembre-se, o colaborador é seu cliente interno.

Importância do employer branding para retenção de talentos

O mercado de trabalho assim como outros setores é dinâmico e passa por mudanças constantemente. mesmo que o termo employer branding tenha surgido ainda nos anos 90, ele ganhou mais força nos últimos anos.

O que muda também são os fatores que levam um candidato a escolher qual empresa que irá trabalhar.

Uma pesquisa realizada pela Randstad, descobriu quais são os 5 fatores que os colaboradores em potencial querem e analisam quando estão em busca de um novo emprego:

  • Desenvolvimento de carreira;
  • Salário e benefícios atraentes;
  • Clima organizacional agradável;
  • Bom treinamento;
  • Gestão forte.

Muitos profissionais esbarram em vagas que parecem promissoras, simplesmente por não saber como é trabalhar em determinado lugar.

Em razão disso, planejar e definir ações para promover o employer branding, tanto para colaboradores, quanto para candidatos pode fazer muita diferença na hora de encontrar verdadeiros talentos.

Outro dado da pesquisa realizada pela Randstad exemplifica essa situação, pois 50% dos entrevistados não aceitariam trabalhar em uma empresa com má reputação.

Além disso, 96% concordam que o alinhamento dos valores pessoais com a cultura da empresa é um importante fator para  satisfação no trabalho.

Como consequência, empresas que não investem em employer branding acabam pagando 10% a mais no salário para manter colaboradores.

Em contrapartida, empresas que investem em uma boa estratégia de employer branding, experimentam por exemplo, uma contratação 1-2 vezes mais rápida que outras. Outro dado relevante, é que 76% dos colaboradores que têm um forte alinhamento com seu empregador recomendariam a empresa para se trabalhar.

A partir desses dados, é preciso destacar o benefícios do employer branding também para reter talentos e engajar colaboradores.

Por que considerar a marca do empregador?

Se a reputação da empresa e as decisões que ela toma podem influenciar  a decisão de um candidato sobre a mudança, também é possível que essa influência se estenda a outros steakholders ligados à organização.

Entre eles, estão os clientes, fornecedores, prestadores de serviços, concorrentes, autoridades, representantes e a sociedade civil como um todo.

É nesse sentido, que as empresas devem se atentar para o employer branding. A maneira como a empresa é vista, se baseia nas percepções do público interno e externo. Sendo assim, quando essas percepções fazem parte de um planejamento estratégico de gestão da marca empregadora, a chance de serem positivas para a empresa é maior.

Afinal, o colaborador que fala bem da empresa em que trabalha, pode influenciar positivamente um novo talento profissional.

Agora que você aprendeu um pouco mais sobre o que é employer branding, pode aprender outros conteúdos acompanhando o blog da Vivaintra.

Se gostou, deixe seu comentário e não esqueça de compartilhar com outros profissionais.